EXEMPLOS SOBRE CIÚMES 


"Não sei o que fazer, namorei vários anos, gostava muito dessa pessoa até descobrir que me foi infiel e continua sendo. Quero deixá-lo porque já não suporto mais, primeiro por ele me acusar de ser ciumenta, sendo ele ciumento a dobrar e mulherengo, depois porque não quero dividi-lo com mais ninguém."

Fazer uma psicoterapia nesse momento pode ajudar nessa escolha de deixar essa pessoa e repensar esse relacionamento, seus objetivos, e também para o ciúmes (o quanto está ligado às peculiaridades desse namoro ou se é mais abrangente, por exemplo).


"O meu marido morre de ciúmes de mim desde o tempo de namoro. Ele não gosta que converse com amigos, que saia para fazer um curso, ir a um happy hour, me liga o tempo todo, para você ter uma idéia ele me monitora por telefone.Ele me testa o tempo todo, se falo que vou a um shopping ele deixa o serviço dele e vai atrás para ver o que estou fazendo, ele já fez isso várias vezes, e eu sempre fui fiel e sempre o respeitei. Cada vez que ele me testa minha raiva e ressentimento crescem ainda mais. Eu estou ficando num ponto que tem dias que não gosto nem que ele me toque"

"Estou vivendo uma situação dessas com minha esposa, nossa vida conjugal está bastante abalada em razão do Ciúme Doentio que ela sente em relação a mim, por isso gostaria de ajudá-la (e a mim também) a sair desta situação"

O ciúmes vai, mesmo, criando uma mágoa na pessoa à qual ele é endereçado e há quanto mais tempo isso acontece, mais fundo machuca. Ela começa a duvidar do amor de seu par e seu amor vai enfraquecendo.

Nem sempre a vítima consegue pôr limites para o ciúmes do outro e pode acabar cedendo ao controle que o ciumento acaba exercendo. Aí é necessário se ter uma conversa com o(a) parceiro(a), sem acusações, mas deixando claro que a desconfiança dele(a) vem causando muita mágoa a você e estabelecendo alguns limites. Se as coisas não melhorarem, o segundo passo é propor uma psicoterapia (individual ou de casal). Na terapia de casal o psicólogo poderá fazer sessões individuais com a pessoa ciumenta, intercaladas com sessões com ambos.

É necessário quebrar o círculo vicioso que se instalou no relacionamento, porque ambos o alimentam, seja com ataque ou com defesa, e o passo inicial está mesmo na comunicação. Um relacionamento com amor tem uma base forte para superar isso, mas ambos precisam estar cientes do mal que o ciúmes está fazendo ao casamento e dispostos a lidar com isso.


"Sou muitíssimo ciumenta, eu estou prejudicando muito o meu relacionamento, isto tem dado muita briga, até cheguei ao ponto de dar um soco no rosto do meu namorado, arranhar ele, sem ele merecer, foi um minuto de bobeira, eu vejo que eu preciso de ajuda só que eu não tenho condições de pagar uma consulta em um psicoterapeuta ou algo parecido."

Não deixe de procurar ajuda, pois pelo que você conta as coisas já passaram dos limites.

Quanto ao pagamento das sessões, é uma questão de conversar com o psicólogo e ver com ele um valor que se adeque às suas atuais possibilidades (os psicólogos costumam adequar o valor das sessões às possibilidades dos clientes). Caso não se chegue a um acordo ou se prefira um atendimento gratuito, o profissional encaminha a pessoa a um serviço público, que também é uma opção para você.

Nesse sentido, existem serviços gratuitos de psicoterapia dentro das faculdades de psicologia ou dos curso de pós graduação em psicologia, onde os atendimentos são feito por graduandos e pós-graduandos e supervisionados por um professor. Procure se informar, busque nos sites das faculdades de sua cidade.


© Copyright Kelen de Bernardi Pizol.
Todos os direitos reservados. É proibido a reprodução integral ou parcial, sem autorização prévia e expressa da autora.