CASOS DE CIÚMES ONDE A 

PSICOTERAPIA PODE AJUDAR

 

"Tenho 23 anos ...namoro a 1 ano ... uma pessoa separada...não confio nada nele pois ele saiu de seu casamento que durou apenas três anos e meio... traiu ela... ela não é das pessoas mais inteligentes do mundo. Sempre fui uma pessoa de auto estima bem legal.. Mas agora neste relacionamento... não consigo nem me olhar no espelho... e acho que ele está me traindo... em qualquer lugar que ele vá.... Não sei mais o que faço para recuperar minha auto estima e tentar ser feliz... Acho que realmente ele não me trai.... mas não consigo acreditar nisto no meu dia a dia."

 

Existem várias questões não resolvidas envolvidas nisso, como a desvalorização do que há de bom em você,com os "a prioris" que te levam a desconfiar desse namorado e a relação custo-benefício desse relacionamento, por exemplo. Seria legal você refletir a respeito dessas questões para decidir no que vale a pena investir nesse momento da sua vida, o que deve continuar e o que deve ser mudado.


"Não sei o que fazer, namorei seis anos com alguém, gostava muito dessa pessoa até descobrir que me foi infiel e continua sendo. Quero deixá-lo porque já não suporto mais, primeiro por ele me acusar de ser ciumenta, sendo ele ciumento a dobrar e mulherengo, depois porque não quero dividi-lo com mais ninguém."

 

Seria legal fazer uma psicoterapia nesse momento, para ajudar nessa escolha de deixar essa pessoa e repensar esse relacionamento, seus objetivos, e também para o ciúmes (o quanto está ligado às peculiaridades desse namoro ou se é mais abrangente, por exemplo).


"O meu marido morre de ciúmes de mim desde o tempo de namoro. Ele não gosta que converse com amigos, que saia para fazer um curso, ir a um happy hour, me liga o tempo todo, para você ter uma idéia ele me monitora por telefone.Ele me testa o tempo todo, se falo que vou a um shopping ele deixa o serviço dele e vai atrás para ver o que estou fazendo, ele já fez isso várias vezes, e eu sempre fui fiel e sempre o respeitei. Cada vez que ele me testa minha raiva e ressentimento crescem ainda mais. Eu estou ficando num ponto que tem dias que não gosto nem que ele me toque"

"Estou vivendo uma situação dessas com minha esposa, nossa vida conjugal está bastante abalada em razão do Ciúme Doentio que ela sente em relação a mim, por isso gostaria de ajudá-la (e a mim também) a sair desta situação"

 

O ciúmes vai, mesmo, criando uma mágoa na pessoa à qual ele é endereçado e há quanto mais tempo isso acontece, mais fundo machuca. Ela começa a duvidar do amor de seu par e seu amor vai enfraquecendo.

Nem sempre a vítima consegue pôr limites para o ciúmes do outro e pode acabar cedendo ao controle que o ciumento acaba exercendo. Aí é necessário se ter uma conversa com o(a) parceiro(a), sem acusações, mas deixando claro que a desconfiança dele(a) vem causando muita mágoa a você e estabelecendo alguns limites. Se as coisas não melhorarem, o segundo passo é propor uma psicoterapia (individual ou de casal). Na terapia de casal o psicólogo poderá fazer sessões individuais com a pessoa ciumenta, intercaladas com sessões com ambos.

É necessário quebrar o círculo vicioso que se instalou no relacionamento, porque ambos o alimentam, seja com ataque ou com defesa, e o passo inicial está mesmo na comunicação. Um relacionamento com amor tem uma base forte para superar isso, mas ambos precisam estar cientes do mal que o ciúmes está fazendo ao casamento e dispostos a lidar com isso.


"Namoro uma garota a dois meses, mas ela é muito ciumenta, ela consegue imaginar coisas que não existe nem na ficção, no me entender. No antigo relacionamento dela não havia fidelidade pelo lado do ex-namorado, e eu sinto que por este motivo ela tem esse tipo de atitude. Eu não canso de falar que a amo e passo toda a segurança que ela necessita para confiar em mim, mas as vezes parece que não adianta nada."

 

Pelo que você diz, sua namorada foi bastante machucada no relacionamento que antecedeu o de vocês e o medo de que isto aconteça novamente é tão grande que por enquanto ela não consegue enxergar a realidade do novo relacionamento. A infidelidade de um parceiro ou parceira pode ter a repercussão de um trauma e o ciúmes aumentado é uma manifestação disso. Nesse caso, a pessoa precisa recuperar sua segurança através de novas experiências positivas e da elaboração do acontecimento passado, modificando os pensamentos e crenças que levam à essas emoções no presente. Sua atitude em demonstrar que ela pode confiar em você e no seu apoio está correta, tenha paciência e continue a agir assim, pois isto a ajudará a ir vendo que você é uma pessoa diferente e que se está com ela é porque assim o escolheu, que não tem necessidade de sair com outras pessoas. Algo que pode auxiliar sua namorada a elaborar o que aconteceu no relacionamento anterior, recuperar a confiança em si e ter mais segurança no relacionamento de vocês é fazer psicoterapia, também.


"Estou com uma pessoa há poucos meses. Ambos éramos comprometidos. Nos separamos para ficarmos juntos. Desde então, ele tem sofrido de depressão, transtornos de ansiedade e pânico. Está indo a um psiquiatra que diz que tudo isso se deve a mudança radical ocorrida na vida dele, como o fim do casamento, por ex. Acontece que tenho percebido crises de ciúmes excessivo nele. Por ex: Hoje mesmo, um colega passou por mim e me deu um simples oi e eu retribui. Ele já achou que eu estava olhando com segundas intenções para o colega, acha que eu quero ser notada, etc. Qualquer pensamento que eu tenha com relação a sentimentos ou pessoas, ele acha que tem algo por trás ou que estou temendo algo, escondendo, etc. Gostaria de saber se isso se caracteriza como um ciúmes doentio, se poder ser conseqüência da depressão e se é válido fazermos uma terapia de casal."

 

Seria legal ele conversar a respeito com o psiquiatra dele (que verá se é um ciúmes patológico ou não, pois é necessário uma avaliação,além de analisar outras hipóteses), para, se for o caso, estar ajustando a dose ou trocando a medicação, e também ter um acompanhamento psicoterápico individual.

Não há necessidade de vocês fazerem uma terapia de casal por enquanto; na psicoterapia individual, se o psicólogo achar necessário, para ajudá-lo melhor, pedirá que você venha junto em algumas sessões, durante a psicoterapia.


"Sou muitíssimo ciumenta, eu estou prejudicando muito o meu relacionamento, isto tem dado muita briga, até cheguei ao ponto de dar um soco no rosto do meu namorado, arranhar ele, sem ele merecer, foi um minuto de bobeira, eu vejo que eu preciso de ajuda só que eu não tenho condições de pagar uma consulta em um psicoterapeuta ou algo parecido."

 

Não deixe de procurar ajuda, pois pelo que você conta as coisas já passaram dos limites.

Quanto ao pagamento das sessões, é uma questão de conversar com o psicólogo e ver com ele um valor que se adeque às suas atuais possibilidades (os psicólogos costumas adequar o valor das sessões às possibilidades dos clientes). Caso não se chegue a um acordo ou se prefira um atendimento gratuito, o profissional encaminha a pessoa a um serviço público, que também é uma opção para você.

Nesse sentido, existem serviços gratuitos de psicoterapia dentro das faculdades de psicologia ou dos curso de pós graduação em psicologia, onde os atendimentos são feito por graduandos e pós-graduandos e supervisionados por um professor. Procure se informar, busque nos sites das faculdades de sua cidade.


Outros exemplos:

"Sou uma ciumenta excessiva mas controlada, meu namorado não sabe disso... mas o motivo não é insegurança, pois confio muito em mim, mas o problema é que por melhor do que você se ache ou do que você seja homens são homens e nunca podem ver uma bela bunda ou até mesmo uma bunda feia mas só pra variar gostam de dar suas escapadas."


"Estou namorando há quase 1 ano. Mas sinto que preciso de uma profissional para me ajudar, pois tenho um problema que se chama ciúmes; por 2 vezes meu relacionamento esteve por terminar, só não terminou por ela, por que ela sempre me disse que está comigo pois me ama e que devo trabalhar isso dentro de mim. Eu reconheço e a cada dia estou tentando mudar este sentimento dentro de mim, mas acho que preciso de uma ajuda de uma pessoa profissional, pois faz mal tanto para o nosso relacionamento como para ela e também para mim."


"Estou com problemas referente à ciúmes.Tenho crises terríveis, não consigo confiar no meu marido mesmo sem motivos. Tenho ciência que estou precisando de ajuda. Está cada vez mais difícil lidar com a situação, pois tudo é motivo para brigas. Se ele sai e vai fazer algo como ir ao supermercado, procurar cursos, ou resolver qualquer problema é motivo de briga, pois eu acabo desconfiando e passando milhares de coisas na minha cabeça. Está um inferno minha vida pois, não consigo mais achar que este sentimento vai passar sem ajuda, não consigo me controlar e me sentir rídicula cada vez que brigo com meu marido. Pra se ter idéia do problema eu morro de ciúmes das minhas irmãs com ele (em específico com uma)."


"Bom, tenho um sério problema, sou ciumenta demais, meu marido fala que sou doente. Preciso de ajuda. Namoramos vários anos, agora com a chegada do nosso filho resolvemos se casar, mas só de ver ele conversando com quem eu não conheço (exemplo:mulher) fico louca e quebro o pau feio mesmo.A última vez que brigamos ele me disse que aquilo não era ciúmes era doença e disse que eu precisava me tratar, pois barraco não combina comigo, pois ele não estava fazendo nada de mais. Sei que homem não presta, mas tenho muito medo de perdê-lo para outra. Sou muito ciumenta, será que preciso de ajuda?"


"Já tive várias relações e hoje estou vivendo outra, tenho um ciúme incontrolável ao ponto de eu explodir por dentro. Está me fazendo muito mal, eu tenho plena consciência que tenho este ciúme idiota que além de me fazer mal está estragando algo muito bonito que uma pessoa sente por mim, creio que tenho muito medo de ficar só, mas isso não seria motivo de ter tanto ciúmes. Ela é uma pessoa maravilhosa, mas eu fico possesso ao ver alguns rapazes conversando com ela, como sou bobo, ela me trata muito bem, temos uma relação muito boa, quando estamos sós, é claro. Mas eu sei que não estamos vivendo em um mundo que só existe ela e eu. Ela tem e deve manter suas amizades como eu também, isso é algo que devo saber só na teoria, por que na pratica sou um completo desastre, assim em vez de eu ter alguém do meu lado eu estou afastando ela de mim."


"Estou me casando. Eu e minha noiva nos amamos muito, gostamos muito um do outro. Ela é do tipo de mulher que não tem aquele ciúme mais comum entre as mulheres, ela é mais tranqüila em relação a isso, acredito que ela é assim por motivo da confiança que eu sempre passei para ela, o engraçado é que nos dois passamos muita confiança um para o outro mas meu ciúme as vezes é incontrolável. Meu ciúme não é aquele que briga com a pessoa,discute e etc, meu ciúme é aquele que machuca a pessoa por dentro, pois sei que posso confiar nela mas fico angustiado por dentro. Penso muito no passado, meus pensamentos são do tipo que nunca esquecem das coisas, revivo várias situações constantemente em meus pensamentos. E outra coisa, nosso passado não foi aquela coisa horrível, foi um passado comum entre as pessoas, conhecer pessoas diferentes, etc. Mas sei que preciso mudar esse jeito de ser, pois acredito que posso prejudicar um casamento que vai ser maravilhoso. Mas mudar não por ela, principalmente por mim, pois este ciúme não faz com que eu a prejudique e sim prejudica a mim. Porque este sentimento de ciúme, eu às vezes não passo para ela."

 
     
© Copyright Kelen de Bernardi Pizol.
Todos os direitos reservados. É proibido a reprodução integral ou parcial, sem autorização prévia e expressa da autora.